A cidade de Pomerode, no interior de Santa Catarina, já está vivendo a Páscoa e seguindo uma tradição alemã pouco comum no resto do Brasil.

Imagine ser criança, acordar no Domingo de Páscoa atrás dos ovinhos e encontrar a bicharada da fazenda toda colorida. Era assim que os imigrantes alemães que colonizaram Pomerode, em Santa Catarina, divertiam os filhos.

“A ideia dos antepassados era da seguinte forma: o coelhinho passava, pintava os ovos e também já aproveitava para pintar os animais e dar um aspecto de Páscoa para alegrar a criançada”, explica o empresário Adolar Fischer.

O costume, quase perdido no tempo, ainda resiste pelas mãos de seu Adolar, como um presente para a filha, Sabrina. A Páscoa é mesmo um tempo de colorido especial na mais alemã das cidades brasileiras.

Nesta época da Quaresma, muitas famílias de Pomerode, como os Greuel, enfeitam o jardim de casa com a Osterbaum, que em português quer dizer Árvore da Páscoa. É uma tradição carregada de simbolismo. Os galhos secos representam a tristeza pelo sacrifício e morte de Jesus. Já os ovos lembram vida, a alegria pela ressurreição.

Na casa da família Siewert, a montagem da Osterbaum une gerações. “É muito bonito. As crianças ficam alegres e se divertem”, diz dona Rowena, que fala melhor em alemão.

“É muito divertido, porque a gente acaba se envolvendo mais com a Páscoa, descobrindo o verdadeiro sentido”, comenta Ketlen Siewert, de 12 anos.

A grande atração é uma oosterbaum de 17 metros de altura, decorada com 15 mil ovos de plástico pintados à mão. “Parece uma linda árvore na primavera”, diz uma turista sul-africana.

Levou um mês para ficar pronta, em um mutirão das artesãs de Pomerode. Lembra um buquê gigante e é o cartão-postal de Páscoa da cidade.

“É algo simples, mas de uma beleza única mesmo. Só aqui em Pomerode para encontrar algo igual”, diz um morador.

 

 

 

Fonte:G1

Comente no Facebook

Comentários