O nome é complicado e confesso que desconhecia essa condição, até acontecer com o cachorrinho da minha amiga. Ela ganhou um filhotinho que, assim como a maioria dos bichinhos, cresceu rápido e com muita (eu disse muita) energia. Certo dia, estávamos na casa dela e o Billy pulando, como sempre. Eis que, outra amiga nossa que têm um cachorro macho, percebeu a ausência dos testículos (as famosas bolinhas). Como eu e minha amiga estávamos acostumadas sempre com as fêmeas, não tínhamos nos atentado à isso até o momento. No dia seguinte ele já foi visitar o veterinário e foi diagnosticado com Criptorquidismo. Vou te contar melhor sobre essa condição agora.

Conheçam o Billy ❤

Criptorquidismo: o que é?

Ainda durante a gestação, os testículos se formam dentro do abdômen. Depois de algum tempo, passarão pelo chamado “canal inguinal” em direção ao escroto. Esse é o procedimento normal que acontece na vida de um animal macho.

 

Quando o testículo fica retido no abdômen ou mesmo no canal inguinal, caracteriza-se o Criptorquidismo, que significa “testículo escondido”. Nome apropriado, né?

O Criptorquidismo pode ser unilateral (quando apenas um dos testículos fica retido) ou bilateral (quando a condição acomete os dois testículos), sendo o unilateral mais comum de acontecer do que o outro. Nesse caso, inclusive, o animal ainda pode ter filhotes. Porém, como essa condição tem origem genética, descendentes desse animal podem nascer também com essa condição. Já na condição bilateral, o animal é estéril.

Em gatos a incidência de Criptorquidismo é de apenas 1,5%, mas em cachorros esse percentual atinge 15%. Ou seja, não é raro encontrar cãezinhos machos com essa alteração.

Sintomas

Nos animais, a descida completa dos testículos até o saco escrotal deve ocorrer até os 2 meses. No entanto, muitas vezes, esse diagnóstico só se concretiza aos 6 meses de idade, que é quando o canal inguinal fecha, impossibilitando definitivamente a descida dos testículos. O Billy tinha mais ou menos essa idade quando percebemos a ausência de suas bolinhas.

Como é uma condição que você percebe logo (com algumas exceções como no caso do Billy), não há tempo para sintomas maiores ou o surgimento de condições mais perigosas, como tumores, por exemplo. Alguns sintomas, no entanto, que aparecem logo no início são: agitação excessiva, hipersexualidade e tendência à agressividade. Isso porque, mesmo que não tenha chegado ao saco escrotal, a testosterona continua sendo produzida.

Tratamento e diagnóstico do Criptorquidismo

Apenas apalpando é possível perceber onde estão os testículos, mas o ultrassom é sem dúvida a melhor forma de diagnosticar o Criptorquidismo, além de saber exatamente onde estão os testículos. No caso do Billy um estava no abdômen e o outro no canal inguinal.

O tratamento consiste em cirurgia para retirada dos testículos, ou seja, a castração. O prognóstico para os animais com Criptorquidismo é excelente! Apesar da infertilidade, o animal segue com a vida normal e saudável.

O Billy operou semana passada e já está ótimo! Logo logo ele tira os pontos e vida normal, cheia de bolinhas, petiscos e muito amor e carinho!

 

FONTE: PETLOVE
MAIS INFORMAÇÕES: https://www.petlove.com.br/dicas/criptorquidismo-ou-testiculo-ectopico-em-animais

Comente no Facebook

Comentários