Este simpático animal é o conhecido Leão-marinho. Sua pelagem castanho-clara parece negra quando molhada. Ele é a “foca” dos zoológicos e dos circos (que felizmente quase não estão mais sendo utilizados para este tipo de espetáculos). Ao equilibrar uma bola em cima do focinho, ele está revivendo as brincadeiras de sua infância nas águas da Califórnia ou do Japão, onde perseguia bolhas na água. Ganhou fama de malabarista, graças à sua habilidade e boa memória.

Quando mergulha suas nadadeiras traseiras funcionam como um leme. Em terra, elas servem de pé, juntamente com as nadadeiras dianteiras, ou flipper. Andar na terra não é fácil para o leão-marinho; ele usa o corpo inteiro e mantém o equilíbrio com seu pescoço musculoso e forte.

O leão-marinho é um mamífero pinípede semiaquático, de que há várias espécies, da subfamília Otariinae da família Otariídeo, que vive em regiões de baixas temperaturas e alimenta-se principalmente de peixes (como o cherne e o arenque) e de moluscos.

Os leões-marinhos receberam este nome pois nos machos a pelagem é diferente da das fêmeas: eles têm uma espécie de juba, como a dos leões verdadeiros. Além disso, como eles têm um rugido grave, acabaram sendo chamados “leões”.

Habitam praias e costões rochosos e são frequentemente confundidos com focas. Devido a essa confusão tanto leões-marinhos como lobos-do-mar são conhecidos também como “focas orelhudas”, no entanto há diferenças que distinguem esses dois animais; as focas não possuem orelha externa, ao contrário dos leões-marinhos, elas tem uma minúscula abertura do ouvido mas que lhe permitem excelente audição. Além disso as focas são melhores nadadoras e deslocam-se mal em terra arrastando seu corpo no solo. Já os leões-marinhos conseguem girar suas nadadeiras para frente e marchar bem em terra e escalar pedras, um excelente recurso para escapar de predadores.

Os leões-marinhos já estiveram muito próximos da extinção. Entre 1917 e 1953, mais de meio milhão desses animais foram abatidos por caçadores em busca de sua gordura e de seu couro, usado sobretudo na confecção de casacos. Com a proibição da caça, esses animais, que chegam a pesar 300 quilos e a atingir 3 metros de comprimento (fêmea 140 kg e os machos 300 kg), começaram a se recuperar. Mesmo assim, ainda sofrem com a poluição das águas e, principalmente, com a pesca realizada com redes. Seus maiores predadores são o homem, as orcas e os tubarões.

Nome comum: Leão-marinho-da-Califórnia
Outros nomes:
Californian Sea Lion (Inglês)
Otarie de Californie (Francês)
León marino de California (Castelhano)
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Subordem: Pinnipedia
Família: Otariidae
Subfamília: Otariinae
Género: Zalophus
Espécie: Z. californianus
Nome científico: Zalophus californianus
Distribuição geográfica:
Leste do Oceano Pacífico; Canadá, Estados Unidos e México.
Gestação: A gestação de uma leoa-marinha dura em torno de 12 meses. Os filhotes chegam a medir 40 cm e, pelo fato de nascerem em terra, só aprendem a nadar depois de 2 meses de vida.
Alimentação:
Peixes, cefalópodes e crustáceos.
Tamanho e peso:
Até 2,20 metros e 275 quilos.
Longevidade:
Cerca de 17 anos na natureza.
Até 30 anos em cativeiro.
Estatuto de conservação:
Pouco Preocupante (IUCN 2008)
Características: Saliência óssea no crânio. Pés semelhantes a remos, ou flippers, marcados com sulcos longitudinais. Incisivos superiores separados

 Fonte: Saúde animal.

Comente no Facebook

Comentários